domingo, 7 de outubro de 2007

Pra gostar de SP...

Confesso que uma conversa de ontem me deixou pensando nas coisas de que gosto de SP, e é difícil pensar em tantas assim. Quer dizer, claro que a cidade é boa, mas quando eu peso, dá vontade de sair correndo quase que na hora, especialmente se estou dirigindo, preso no trânsito ou algo assim. Daí, resolvi fazer um Top 5 das coisas que gosto. Meio que sem explicação, mas eu adoraria que as pessoas me mostrassem o que tem de tão bom, além do velho "Ah, eu gosto de saber que tem tudo se eu precisar", porque a gente sabe bem que ninguém usa nem metade disso e viveria muito bem sem.
Anyway, de que eu gosto?

1. Avenida Paulista
Meu endereço favorito. Gente de todos os tipos; comida pra tudo quanto é lado (e salve o yakissoba vagabundo!); um parque; a Livraria Cultura e a Fnac; o MASP e o saguão embaixo dele, que vai perder muito do charme; cinemas bons; fácil de chegar, conexões pra cidade praticamente inteira.

2. Teatro
Antes, eu não dizia isso porque nunca ia, mas agora que eu criei vergonha na cara, posso falar. Teatro em SP não tem igual, e é uma pena que esse seja talvez o mais "tem quando quero" menos aproveitado por qualquer bom paulistano.

3. Shows
Aqui não precisa nem de explicação, ainda que os Stones e o Weezer não tenham tocado por aqui. Talvez o motivo que mais me prenda aqui, sem contar as pessoas, é claro.

4. O'Malley's
Pode parecer bobagem, ainda mais com a quantidade de bares que esse lugar tem, mas lá é especial, sem outro que se equipare. Infelizmente, fechado. Até quando? Desde a Montana, em Poços, não me sentia tão orfão de bar. Só falta fecharem o Krystal e o Rei das Batidas. Aí é pra morrer.

5. Ônibus
Por mais que eu ODEIE o trânsito desse lugar, não dá pra negar: os ônibus são bons. A Marta, xinguem o quanto for, deu uma melhorada incrível no serviço, e ele é bom, vai pra tudo quanto é canto. Já conheci gente e fiz amigos dentro do 177P, dormia todo dia indo pra aula, leio bastante, e ainda por cima é um preço razoável, considerando a extensão da coisa. Eu, em especial, sou privilegiado, porque aqui perto de casa tem ônibus a rodo, e eles me levam pros lugares que eu mais gosto de ir. Bilhete Único, então, é só alegria.

Deixei passar o quê?

6 comentários:

Sandro disse...

Onde o Paulo escreveu "O'Malley's", leia-se "Bahamas".

Dani disse...

Confesso que me ofendo quando ouço qualquer pessoa desdenhar a minha cidade. Aqui fui gerida, parida e criada. É quase como falar mal da minha própria mãe.

Ninguém nega que essa cidade tira qualquer um do sério. Eu mesma tenho os meus dias de querer implodir isso aqui, mas acredito que muitas outras coisas mais importantes fazem dessa, ou de qualquer outra cidade, a sua! Eu só vou me dar o trabalho de citar duas únicas coisas.

Você me disse que nem ia entrar na questão "amigos", porque só assim São Paulo perderia de longe. Pois bem, meu caro, mais do que falar dos amigos, eu quero falar das pessoas. Daquelas que te acompanham durante períodos marcantes da sua vida. Daquelas outras que nem foram tão importantes, mas que cruzaram o seu caminho de forma positiva. Daquelas que fazem qualquer pessoa sentir falta quando se mora em outro canto. Acredito muito no que dizem que são as companhias que fazem o lugar. Se pra você não foi São Paulo, tudo bem. Se as pessoas mais importantes pra você não estão aqui, tudo bem também. Mas tenho a certeza que ainda se surpreende com a gentileza de um desconhecido, com a presteza de um prestador de serviços, com a educação e simpatia de algumas pessoas que nem têm idéia de quem você seja. Pessoas como você, que puxam papo no ônibus, que têm vontade de abraçar a operadora de caixa de uma farmácia e que ainda assim se surpreende com o fato da moça da lanchonete saber seu nome.

E a diversidade cultural? Em que outro lugar do mundo você consegue ir pro Japão, pra Itália, pro Líbano e pra Coréia no mesmo dia? E o tanto que esses imigrantes e seus descendentes enriqueceram essa cidade? Sem falar dos outros tantos de brasileiros que aqui vivem. Tive, ou melhor, ainda tenho o privilégio de conhecer portugueses, italianos, libaneses, japoneses, coreanos, poloneses e muitos dos seus descendentes e é emocionante ver a gratidão, o olho brilhando, o sorriso ao falar da cidade que os acolheu, que acolhe a todos. Nessa hora eu inverto os papéis e estufo o peito como uma mãe orgulhosa.

A segunda coisa paulistana que não abro mão é o Corinthians, que você nem se lembrou de citar.

São Paulo é muito mais do que um mar de semáforos vermelhos, de flanelinhas e cambistas que eu atropelaria sem dó, de filas intermináveis e poluição. Há que se ter muito boa vontade, sem dúvida, e não se esquecer daquele verso de Caetano em "Sampa", "é que Narciso acha feio o que não é espelho". Gire o espelho ao seu redor e se deixe surpreender! Garanto que não se arrependerá! =)

Manoela disse...

Comida, comida boa, comida muito boa, cerveja gelada o dia inteiro, todo dia em algum canto, musica, musica boa, musica boa toda noite em algum canto, teatro, teatro com bares na frente, teatro com bares na frente com cerveja geldada e pessoas bacanas, amigos que te ligam a meia noite querendo fzer alguma coisa. Uma das coisas que mais gosto é sair pra algum lugar, numa cidade deste tamanho e encontar pessoas que você gosta sem ter esperado isso de forma alguma. Bairros nos quais se tem tudo para sobrevivencia sem andar mais de 2 Km. Mistura de raças impressionante, conexões aéreas para todo o resto do mundo!

Poderia escrever muita coisa...
Muita coisa boa!

E ainda podemos ter uma pancinha que ninguem repara tanto, não temos praia com micro biquinis e sungas pra nos denunciar...rs..

Bruna disse...

Bem, meu nego, a discussão é sabidamente longa. Eu gosto do Centro em geral (mercadão, teatro municipal, 25... e a praça da república ta uma graça depois da reforma!), o metrô é de se orgulhar e a nightlife é incomparável. Mas odeio o trânsito... odeio!! odeio!!

Agora na real, eu conheço muita gente que não é de São Paulo, ou não gosta de São Paulo, ou gosta mas se tiver que escolher prefere outra cidade. E a verdade mesmo é que se algum dia as pessoas que eu amo resolverem sair daqui, isso tudo vai ser só um monte de cimento. E aí eu pego meu último engarrafamento paulistano pra descer a serra e ir morar na praia.

Bruna disse...

Ah sim! A USP é um lugar bem agradável tbm, na minha opinião, e a Vila Madalena, a Mooca (que eu sou suspeita pra falar) e o chopp de alguns bares e as pizzas... e os restaurantes japoneses... e os cachorros quentes das madrugadas, sair pra comer é bem diversão de paulista! Aliás, esqueci de comentar, isso que vc falou dos recursos infinitos a qq hora, eu discordo que eles sejam usados só de vez em qdo, eu já tive larica de açaí em horários malucos e não tive dificuldade pra encontrar um aberto, ou já aconteceu de acabar a breja as duas da manhã e ter um mercado perto pra comprar mais tbm.

Pra contrabalancear tem as pombas... odeio! odeio!

rsss, se lembrar mais vou mandando!

Isabelle disse...

Vc esqueceu dos lugares para dançar como o Bourbon, o Buena e outros interessantes como o bar que só toca Chico (Roda Viva), o Piratininga... dançar faz bem pra alma!!! :)
Bj