segunda-feira, 19 de fevereiro de 2007

Eternal Sunshine of the Spotless Mind

Se tem filmes que te dão um "soco", esse leva a nocaute; é com certeza o filme-fábula mais triste e mais bonito que já vi. Às vezes ter a chance de almoçar em casa, ter o DVD e poder rever uma coisa assim compensa ficar em casa no carnaval, ter que pagar uma paulada no cartão e gostar de ver filmes sozinho. E o melhor de tudo é ver o que vem depois disso, já que as últimas cenas, do corredor e da praia, são de uma simplicidade e de uma beleza quase incomparáveis.

* * *

Joel: [In the house on the beach] I really should go! I've gotta catch my ride.
Clementine: So go.
Joel: I did. I thought maybe you were a nut... but you were exciting.
Clementine: I wish you had stayed.
Joel: I wish I had stayed too. NOW I wish I had stayed. I wish I had done a lot of things. I wish I had... I wish I had stayed. I do.
Clementine: Well I came back downstairs and you were gone!
Joel: I walked out, I walked out the door!
Clementine: Why?
Joel: I don't know. I felt like I was a scared little kid, I was like... it was above my head, I don't know.
Clementine: You were scared?
Joel: Yeah. I thought you knew that about me. I ran back to the bonfire, trying to outrun my humiliation, I think.
Clementine: Was it something I said?
Joel: Yeah, you said "so go." With such disdain, you know?
Clementine: Oh, I'm sorry.
Joel: It's okay.
[Running Out]
Clementine: Joely? What if you stayed this time?
Joel: I walked out the door. There's no memory left.
Clementine: Come back and make up a good-bye at least. Let's pretend we had one.
[Joel comes back]
Clementine: Bye, Joel.
Joel: I love you...
Clementine: Meet me... in Montauk...

4 comentários:

rmiya disse...

Esse filme é maravilhoso!
E eu acho que a maior parte das pessoas não acha lá grande coisa simplesmente porque limita-se a ficar na superficialidade do filme. Ou seja, não entendem praticamente nada além do fato de existir um meio de apagar as lembranças relacionadas à pessoa amada, seja lá qual for o motivo. E não vêem sentido nas melhores cenas, e não ligam os fatos, não percebem que duas pessoas "estranhas", inconscientemente, lutam para não se esquecerem. Enfim, o filme passa batido pra quem não é instigado a procurar algumas respostas não muito evidentes, ou acha que assistir uma vez só é o suficiente.
Eu já vi pelo menos três vezes, e dá pra se emocionar até com o making of, o cuidado do Michel Gondry com cada detalhe, deixando tudo mais delicado e bonito.
E sei que virão outras vezes, que ficarei com o coração apertado, seja por envolvimento ou identificação com o filme. E as lágrimas, sim, elas sempre vêm.

Mariana disse...

Apesar de ser difícil escolher uma cena, essa que você colocou aqui é uma das melhores e uma das mais "fortes" também. Esse filme me deixa com um nó na garganta, e sempre que lembro dele tenho a mesma sensação. Mistura de sentimentos, um filme sensível e delicado... Mas pra pouca gente, infelizmente.
A cena que eu mais me emociono é a cena final do corredor, que você comentou... É impressionante como um simples "Ok!" pode dizer TUDO, trazer um mundo de significados implícitos no filme. Ainda acompanhado pela música de fundo "Everybody´s gotta learn sometime". Lindo!

http://www.youtube.com/watch?v=W5ZPbE0kHxg

Joel: Wait.
Clementine: What?
Joel: I don't know. Just wait. Just wait.
Clementine: What do you want, Joel?
Joel: I don't know. I want you to wait for... just a while.
Clementine: Okay.
Joel: Really?
Clementine: I'm not a concept, Joel. I'm just a fucked-up girl who's looking for my own peace of mind. I'm not perfect.
Joel: I can't see anything that I don't like about you. Right now I can't.
Clementine: But you will. But you will. You know, you will think of things, and I'll get bored with you and feel trapped... because that's what happens with me.
Joel: Okay.
Clementine: Okay?...Okay.

Cruel para uma segunda-feira de carnaval (em casa)... Mas maravilhoso!

Lívia disse...

É um filme lindo, mas que você precisa estar no tming certo para poder assistir, senão, como já disseram, fica só a mensagem superficial e alguns detalhes passam sem ser percebidos como deveriam.
E a cada vez que se revê, algo bate diferente em você.
Adoro.

Thais disse...

Everybody´s gotta learn sometimes...

Lindo, lindo, lindo!

Não, você não... o filme!

:-P