terça-feira, 6 de novembro de 2007

a.k.a. "the Nicest Man on Rock"

Outro dia ainda, lendo a revista Rolling Stone pude fazer duas constatações. Uma que a revista ainda precisar comer muito arroz com feijão, e outra: Dave Grohl é um cara legal.

Ele deu uma entrevista logo antes de soltar o novo disco do Foo Fighters, Echoes, Silence, Patience and Grace, e era uma coisa muito legal de se ler, ainda mais considerando a imagem de um cara meio doido que ele é, ou mesmo o esteriótipo do "rock n' roll star". Ele fala de família, de como é importante ter essa base, que eles são até mais importantes do que música na vida dele, e por aí foi. A descrição da filhinha dele, Violet, é uma coisa fofa, por sinal. Queria que meu pai tivesse me feito escutar Amy Winehouse desde pequeno. Se bem que, em 1984, era mais fácil ele ter colocado Metallica - ou algum metal farofa, meda. Mas o fato é que a entrevista dele é muito "bonitinha", bem pra família ler, achei meio estranha, só que é meio assim mesmo.

Daí, lendo a Q, revista realmente bacana mas que tem listas do tipo "The Greatest British Albums Ever!" a cada 4 edições - não sei como conseguem inventar tanta coisa! -, ele ainda fala justamente sobre a Rolling Stone, sobre como metade dela tem propaganda e questiona a credibilidade de uma revista de música que só tem 25% do conteúdo sobre música. Na real, a Q fica com umas coisas de querer palavrão, resposta mais "uh!" e afins. Tive o prazer de redescobrir uma delas que comprei nos EUA, em 2005, com uma baita entrevista dele, falando do suícidio do Kurt Cobain e coisas mais "sérias" ou polêmicas. Ainda assim, ele é um cara legal.

Isso sem contar os covers que dá pra achar na net que ele fez, de Led Zeppelin ("Starway to Heaven") a Creed (a engraçadíssima "With Arms Wide Open", que merece isso e pior). Mas tem um vídeo que é muito bom (MUITO!), por dois motivos: é legal em si - como não gostar de "Tiny Dancer", do Elton John? - e mostra que ele gosta de "Almost Famous", um dos meus filmes favoritos. Dave Grohl é um cara legal. Salve o YouTube! (sorry, não postei nada, então deixa a bunda mole de lado e vá atrás)



Sem contar que ele é baterista dos bons, e todo santo álbum em que ele resolve ajudar, a coisa melhora: Queens of the Stone Age e até mesmo o segundo da Juliette and the Licks. Não sabia que era ele? Pois é. Não é a toa que a própria Q o chamou de "the Nicest Man on Rock". Agora você sabe, e admita: ele não é mesmo um cara legal?

5 comentários:

Garfs disse...

eh o que eu sempre digo...

a morte de kurt cobain foi a melhor coisa que aconteceu pro dave.

Alessandra disse...

Lógico! Ele é a prova que dá para ser rock´n roll puro sem ser autodestrutivo, metido a fodão ou cínico. E é genial.

Dani disse...

Realmente é muuuuito bacana ver um gajo do meio rock 'n' roll com essa cara de louco, mandar bem pra caramba e, ainda assim, ter bom senso e dar valor pra outras coisas importantes na vida e não simplesmente se perder nela.

"Família, família
Janta junto todo dia,
Nunca perde essa mania"

Bruna disse...

Caras legais reconhecem caras legais,you know ;)

Pois é, ele parece ser gente boa. Mas o que eu mais gosto no FF são os clipes, adoro na verdade! E veja, quem diria que um cara do nirvana ia casar e ter família, td certinho? Ah que mundo...

Mas obrigar a filhinha a ouvir Amy Winehouse td dia?? Honey, don't!

Mari Zanatta disse...

Caras legais reconhecem caras legais,you know ;) [2]

Queria escrever pra Rolling Stone.
Mal posso esperar pela sua chegada, teacher Paulo!

bjo!