segunda-feira, 28 de abril de 2008

Nossa Senhora do Desterro

"Memories fade
Like looking through a fogged mirror
Decisions too
Decisions are made
Decisions are made and not bought"
-- Kids, do Mgmt, foi definitivamente a música do fim de semana. Acabei de notar que mais do que eu imaginava.

* * *

Das mulheres de Florianópolis, não vou nem falar, porque é um despeito. Não, sério mesmo... eu sempre falei que BH é foda, mas Florianópolis me deixa de queixo caído, ainda que como sempre eu não faça nada. Fica até chato, porque eu até paro o que eu tô falando às vezes por conta do queixo que vai ao chão - sem virar a cabeça, por favor, que isso é grosseria.

Da Berdz - ou Juliana -, também não. Ficou um quê de triste quando eu subi no avião (obrigado, Gol!) porque me veio que foi a última vez que a visitei lá, e como eu dizia pro irmão dela, fiquei com uma sensação de ter aproveitado pouco os anos que ela passou por lá fazendo faculdade. Uma boa parte deles foi nos EUA. Na real, foi mais porque foi um dos últimos fins de semana que passamos juntos por um bom tempo. Sou mesmo um privilegiado por ter essa menina como minha amiga, e por ser uma das poucas pessoas (ao menos de Poços) que ouve ela falar tanto, sóbria ou bêbada.

Por isso, resolvi ir a um Top 5 sobre o fim de semana em terras catarinenses. Simples assim, até porque foi ela quem me emprestou o Alta Fidelidade dela, em 2004, justamente quando a visitei em Floripa e passamos por uma situação de ressaca bem parecida. hahaha

Não está em ordem.

1.
a amnésia geral que parece ter acometido os participantes do baile de formatura, de Design. Da metade pra frente, tudo que se consegue colher são fragmentos, pedaços, coisinhas... e geralmente algumas delas não fazem o MENOR sentido, incrível! Isso sem falar do meu celular, que até agora é uma coisa bastante indecifrável. Bastante mesmo.

2.
meu GPS é bom, mas bom pra caralho! Afinal de contas, como você acha uma casa muito longe com sono e meio bêbado, sem nunca ter ido lá? Fácil, eu consigo.

3.
"A Juliana não tá acostumada, né? E vodka é forte, tava de estômago vazio..."; "E depois o mau-caráter aqui sou eu"; "Eu fiz faculdade aqui, o que ela acha que eu fazia?" e a vontade do "Ih tia, não é a primeira vez, relaxa... a outra vez que eu vim foi igualzinho, mas ela dormiu menos e daí ficou pior. Foda mesmo foi ter saído daquele saco de dormir pra correr pro banheiro, e ela foi logo depois". Dispensa maiores comentários, mas pede requeijão e dá uma fome da porra.

4.
músicas, músicas e mais músicas. Especialmente essa aí em cima - quero ver não viciar -, Le Disko do Shiny Toy Guns - fiquei perplexo com ela no meio da balada - e o funk do Creu, a música que com certeza ia tocar na festa. Daí teve também uma valsa dançada como se deve na Europa com a professora ideal, uma outra valsa de última hora e, pra fechar, pulinhos à Angus Young que eu prefiro não acreditar que foram ouvindo Tihuana.

5.
a zona. Isso mesmo, um puteiro, boite, casa das "primas". Não pagar pra entrar, tomar uma Coca, ver um pole e dormir no chão, abraçadinhos. Levanta, sai, e dorme de novo, na calçada. Tudo isso de terno e longo, devidamente trajados para ambas as ocasiões. Pena que disso não tem foto, uma pena mesmo.

Afe, por que mesmo o fim de semana acabou? Que merda! Só faltou mesmo o Tobias lá. E as meninas deveriam se lembrar de um conselho muito sábio: ser quietinha não leva a nada.

E pensar que amanhã eu tenho que ir trabalhar...

8 comentários:

AdrenAline disse...

Você, que é um homem do povo (como ficou muito bem provado neste post), me responda: que porra é essa de Créu? Não chegou aqui em NYC e ninguém quer me explicar. Mas que caráleo...

Ana Elisa Gusso disse...

Tá, I get it, vc se divertiu em Floripa, whatever...
Mas vc fez falta aqui, viu? ;)

Juliana disse...

quero finais de semana assim pelo menos uma vez por mês! com a festa, as companhias (da Marcela, do Alberto, do Mauricio e de todo mundo), a corridinha nas ruas do centro e entrar correndo na whiskeria sem pagar fugindo do carinha q eu "sempre vejo no blog do FloripaStreetStyle", as dormidas no palquinho do lado do pole e na calçada, motorista q descobre o caminho sozinho, SMS misteriosas (algumas q a gente salva e outras q deleta), Blues velvet miado q vira Nação Balanço, pastel, pizza e filé gigante (como tava bom aquilo - ou foi a fome e er... a ressaca?).. só continuo dispensando o day after! hahaha

e não vai pensando q foi um dos últimos fds não porque, já te falei, logo logo vc vai receber um couch request.. ;)

Priscila disse...

O entrosamento dos convidados foi grande! Poucas horas de convivencia rapida foi o suficiente pra todo mundo se divertir junto como amigos de anos...isso prova q eu e a Juliana temos talento pra essa coisa de amigo..haha
Ahhhhh...essa sua valsa europeia...complicada com salto de 10cm viu! Muito obrigada por ter me dado a honra da dança e não ter me deixado la com cara de tacho!
É..até eu q sou a amiga da amiga te enchi o saco pra vir pra ca umas vezes ne!
Eu tb quero um fim de semana desse por mês! Todo mundo merece!!!!!!!

Fê Ruça disse...

A frase "ser quietinha não leva a nada" apareceu na minha frente pela segunda vez em menos de 24 horas. Seria um sinal?

Chu disse...

(fê ruça??? fê ruça por aqui? comassim?? oi fê!)

Então, adorei sua noite. Adorei entrar no puteiro, beber uma Coca, ver um pole e sair. Já fiz isso, na Augusta.

Adorei seu comentário no meu blog também. Obrigada por entender o espírito.

A vida anda difícil demais, 'bora abusar da amnésia alcóolica, né? Ajuda a esquecer a noite anterior e, qui sas, alguma outra coisa...

Chu disse...

Em "Adorei entrar no puteiro, beber uma Coca, ver um pole e sair" leia "Adorei a parte do beber uma Coca, bla bla bla", você entendeu.

camila disse...

Diante de um final de semana (especialmente sábado.. domingo não foi legal não, apesar da ressaca não ter me atingido.. na verdade fui atingida por outro tipo de ressaca.. rotina! prova!...) tão divertido me sinto obrigada a deixar tb minha contribuição...
Se eu pudesse queria me divertir assim mais de uma vez por mês... mas minhas pernas não agüentariam, são muito sedentárias as coiatadas pra ficarem fazendo chão-chão-chão diversas vezes no mês.. fiquei uns três dias com dores mulsculares.. sem brincadeira!

Mas acho que o que mais valeu, ao menos pra mim, foi ter conhecido esse povo todo.. pena q tenha sido na formatura(ou próximo dela... a Juliana, por exemplo, passeava pela minha imaginação como uma morena de cabelo liso até o começo do ano.. acho q a Priscila não me contou as histórias direito).. seria mais legal se fosse no trote!!

E tenho um pedido (tenho esse direito?): quando eu me formar (o que vai demorar um teeempo), será q vcs podem vir pra que eu não fique tão frustrada com a minha formatura?