domingo, 6 de janeiro de 2008

Ano Novo ...

... velhas histórias. Mas, esse ano, eu me peguei fazendo daquelas "retrospectivas" do ano e cheguei a uma conclusão: 2007 foi um ano difícil. Bom, claro, mas foi difícil. Aliás, quando não o é?

Mas, ao invés de escrever um monte de coisas sobre o que passou, pensei em duas listinhas - uma delas é um Top 5, claro.

* Certezas Tiradas da Vida *

1. 'muSSarela' está errado. É 'muÇarela'
2. "Come On Feel The Noise" não é do Slade, mas sim do Quiet Riot
3. a banda INXS não se pronuncia com o /i/ de "I go to school", mas sim com o /i/ de "in", e a idéia é "in excess"

* Top 5 - Discos Mais Legais de 2007 *
(não que eles tenham sido gravados no ano)

1. Ryan Adams - Gold
2. The Killers - Sam's Town
3. Pearl Jam - Pearl Jam
4. Wolfmother - Wolfmother
5. Bidê ou Balde - Se Sexo É o que Importa, Só o Rock É Sobre o Amor

Agora, algumas pessoas sempre vêm com aquelas coisas de resoluções de ano novo, mas eu percebi ano passado que o lance é pensar em poucas coisas e fazíveis, de verdade. Nada de "emprego novo" ou "arrumar namorada". No ano que passou, consegui fazer 2 das 3 promessas que me fiz - em 1 delas, falhei miseravelmente, e pro bem. Isso incluiu nunca mais choramingar por não ter visto o Pearl Jam, da forma mais direta, mas nem por isso simples: fui à Europa e os vi, chorei e cantei.

Pra 2008? Só tenho umas 2 coisas em mente, e provavelmente vou pensar numa terceira, mas essa pode esperar, e ela virá, ou não. Se forem 2 e eu conseguir, tá ótimo, porque são coisas importantes. É bom a gente saber sempre onde pisa, e se PODE pisar lá. Eu acho que sim, mas vamos ver.

De resto? Um ótimo ano pra nós todos, sempre melhor ou pelo menos igual ao que passou. Se der, um pouco mais fácil. A vida não o é, mas eu não reclamaria.


PS: vale ressaltar que o disco Make Some Noise, aquele da Anistia Internacional por Darfur, merece lugar de destaque. Nunca o ouvi, mas o filho da puta travou meu SoulSeek e acabou com a alegria da criançada.

2 comentários:

Dani disse...

Às vezes a gente faz (ou tenta fazer) listas de coisas que até parecem ser intermináveis. Músicas com nomes de mulher, sinônimos, resoluções de Ano Novo ou de novo ano durante o dito inferno astral, filmes a serem assistidos, amigos a conquistar, lugares pra visitar... Praqueles mais competitivos e não tão otimistas, essas listas podem ser frustrantes. Imagina você listar os quilos a eliminar ou quilômetros a correr num ano e não chegar lá? Afe! Acho sensata essa sua idéia de ter apenas um par de coisas fazíveis e dar o sangue por elas, botar a energia pra valer e realmente fazer a hora, não esperar acontecer. Com certezas tiradas ou mesmo falhando miseravelmente, lembre-se: você pode tudo! Inclusive continuar sendo genial! ;) Beijo, Steve!

Mari disse...

Eu também parei com essa história de fazer uma lista de coisas. Parei de olhar pro ceu na virada do ano e fazer um monte de pedidos. Comecei a mudar o queria mudar em mim aos pouquinhos e batalhar para que meus pedidos dessem certo. E não é que essa receita deu certo em 2007?

Feliz 2008! Que vc tenha um ano polvilhado de sorrisos!
Beijo Beijo